FORA!

Vila Velha/ES - Brasil, 2021

A mostra on-line “Fora!” reúne fotografias de pessoas em situação de rua durante a pandemia. Extraindo detalhes visuais inusuais de sujeitos vulneráveis, provoca um olhar singularizado e a abertura para a escuta.

 

Com o intuito de acirrar o debate, produzir ideias, propostas e novos desdobramentos, um podcast acompanha a mostra.

WhatsApp Image 2021-02-25 at 2.39.46 PM.

"PREFIRO SER PONTE DO QUE MURO"

(Jorge Luiz Góis Madeira, morador de rua em Vila Velha).

Vimos ele caminhando com um prato de comida. Fagner falou "Para para!". Fomos conversar, ele topou participar. Ficamos muito tempo conversando, gravando, fotografando. Nos sentimos a vontade.... Falamos sobre a vida, a rua, as escolhas, os porquês. Com muito respeito e gratidão. 

Quando uma conversa desconstrói tudo o que você pensava sobre viver na rua e coloca novas questões! 

DSC03997 edit.jpg
DSC03605 edit.jpg
DSC03974 edit.jpg
DSC03879 edit.jpg
DSC03837 edit.jpg
DSC03710 edit.jpg
DSC03691 edit.jpg
DSC03991 edit.jpg

SONHO DELE É TER AS COISAS QUE PERDEU POR CAUSA DE UM ERRO EM SUA VIDA...

Sonho dele é ter as coisas que perdeu por causa de um erro em sua vida... casa, emprego... Está a quatro anos na rua... trabalhar ele quer, porem ele não tem casa, não tem telefone... Muitas das vezes não consegue o trabalho por não ter contato... por não ter teto...

.

Era construtor civil. Ficou preso por quatro anos. Motivo: um erro que lhe custa na consciência... Traído, acabou em um surto agredindo ela... Hoje não conhece ninguém, não tem amigos na rua... Prefere ficar na dele, com a pinga.

.

Não deseja isso a ninguém. Só quer uma oportunidade pra se reconstruir...

.

Esta é a história de "Seu Nelson" (Nelson dos Santos Motta), que aceitou participar do projeto Fora! e deixar o seu testemunho, em imagens e palavras.

DSC04047 edit.jpg
DSC04032 edit.jpg

"NA RUA NÓS AJUDAMOS UNS AOS OUTROS, DIVIDIMOS O POUCO QUE TEMOS... NÃO SABEMOS O DIA DE AMANHÃ" (Marcelo da Cruz Santana)

Marcelo anda todos os dias com o carrinho onde carrega os seus pertences pelas ruas de Vila Velha... Nele ele põe as latinhas que acha na rua e nas caçambas de lixo... Local preferido é a orla de Itaparica... Lá encontra uma quantidade maior para vender e ganhar um trocado.

 

Tira um cochilo pós almoço debaixo de uma marquise na frente da 7° Etapa. Durante o dia dá sorte de encontrar pessoas que o ajudam a comer. Um prato de comida aqui, um café ali. Senhor de poucas palavras, olhar profundo...

 

Pretende arrumar um carrinho maior pra poder reciclar papelão, além da latinha. 
 

Está há dois anos na rua. "Na rua nós ajudamos uns aos outros, dividimos o pouco que temos... Não sabemos o dia de amanhã."

DSC04115 edit.jpg
DSC04217 edit.jpg
DSC04250 edit.jpg
DSC04247 edit.jpg
DSC04165 edit.jpg

© Fagner Soares & Rejane Arruda