c - o - n - t - a - g - i - o

Vila Velha (ES) - Brasil, 2021

Que tal assistir uma mostra com sessenta videos-performance de até 1 minuto criados por jovens? Que questões sobre o corpo, a imagem, a sexualidade, as relações, o seu mundo, o tempo, medos, anseios e desejos, eles imprimirão? Será que são capazes de manejar a linguagem da videopeformance? 

 

Estes jovens, que produzem arte a mais de dois anos, seja Teatro, Música, Coral, Exposições, vão ter a oportunidade de saber o que é video-performance e aprender a se expressar através do dispositivo chamado “c-o-n-t-a-g-i-o”. Sim, isso porque a video-performance revela-se uma linguagem autoral e autônoma, para instrumentalizar o sujeito a elaborar suas questões em exercícios solitários de criação e partilhamento online.

 

A Mostra c-o-n-t-a-g-i-o proposta pela Cia Poéticas da Cena Contemporânea, reunirá os sessenta vídeos no Canal Yotube da SOCA BRASIL.

 

Os vídeos são produzidos em oficina: um artista produz um vídeo e o oferece a outro; que produz o seu e o oferece a mais um, assim sucessivamente, até todos se “contaminarem” pela videoperformance enquanto recebem orientação.

Com curadoria de Rejane Arruda, a mostra dos vídeos se subdivide em quatro capítulos: Bordas, Cordas, Nós e Portas.

 

Em “Bordas” estão os trabalhos com a linguagem mais experimental, que por destituírem as coisas dos próprios lugares, apontam para a borda que circunscreve seus espaços.

 

“Cordas” diz de um afeto exarcerbado e levado às últimas consequencias, em sua radicalidade e poética, nos interrogando sobre a sua natureza.

 

“Nós” diz respeito à costura através da qual o sujeito se constitui como ser social, muitas vezes a arte sendo o agente.

 

Em “Portas” estão aqueles trabalhos que apontam uma saída, ou transmitem um desejo de saída, especialmente em referência ao contexto pandêmico.

 

A mostra será apresentada no Canal Youtube da SOCA nos dias 12 e 13 de maio, quando será também disponibilizado o catálogo com sinopse dos filmes e biografia dos jovens autores.

 

Convidamos a todos a apreciar esta produção, promovida pela Associação Sociedade Cultura e Arte SOCA e Cia Poéticas da Cena Contemporânea com recursos da Lei Aldir Blanc e apoio da Secretaria do Estado da Cultura do Espírito Santo e Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo através do Edital de Artes Integradas.

 

Para quem assiste, a poética surge do endereçamento explicitado e percepção do contágio, que se dá “um a um”, mostrando que estamos juntos; da variedade da linguagem e do manejo dos recursos da vídeo-performance.

OBJETIVOS

Mostra de produção autoral diversificada, com múltiplas possibilidades de manejo dos recursos e linguagem do vídeo-performance.

 

Demonstrar que a vídeo-performance pode servir como exercício de auto-desenvolvimento para quem quiser experimentar.

 

Democratizar o acesso à cultura e aos saberes da arte contemporânea, em especial da vídeo-performance.

JUSTIFICATIVA

A vocação pedagógica da Cia Poéticas da Cena Contemporânea / Associação Sociedade Cultura e Arte é fundamentada na ideia de que todos podem fazer Teatro. O desejo da transmissão do entendimento da linguagem performativa é o que nos move, tanto em relação ao espectador quanto em relação ao artista em formação.

 

Sendo assim, porque não estender as nossas ações aos estudantes de ensino médio de escola pública que realizam atividades artísticas há mais de dois anos? E porque não levar para eles um dispositivo de produção autoral que deu certo conosco?

 

Os festivais estudantis de Teatro e Música são uma tradição no Espírito Santo e acolhem os estudantes, com atividades socializantes, auxiliando seu desenvolvimento enquanto sujeito, permitindo a elaboração de questões pessoais; estas que, acolhidas, servem à linguagem artística, seja em voz própria ou na voz de um personagem.

 

Especialmente a Vídeo-performance auxilia o jovem a encontrar caminhos para o reconhecimento de si, do outro, do trânsito das relações que nem sempre são fáceis, permitindo-o lidar com a aspereza do real e suas diversas tessituras de sensação sobre um corpo em transformação.

 

Trata-se de uma linguagem livre, do jogo prazeroso entre voz, imagem, palavra, atmosferas, escrita, poema, corpo, abrindo perspectivas para um trabalho autoral que, quando partilhado no coletivo, promove o amadurecimento.

 

Do ponto de vista do público, a multiplicidade do manejo das produções oriundas de uma cadeia de contaminações e atravessamentos é potencialmente enriquecedora. É sensibilizador ver jovens manejar a construção simbólica que a arte engatilha, produzindo poética e estranhamento.

 

Este grupo tem uma força de esperança e rejuvenescimento, que mexe com as pessoas. São muitos, são sessenta. São múltiplos, e múltiplas são as obras. “c-o-n-t-a-g-i-o” mostra a perspectiva do endereçamento ao outro, do atravessamento, do afeto e da construção de pensamento através de uma modalidade libertária.

AÇÕES 

1. FORMAÇÃO DAS OFICINAS

 

Contamos com a Equipe Comunicação-escola, formada pela Dra Riziane Prates com trinta anos de experiência no ensino estadual público na Grande Vitória.

 

Divulgaremos formulário de inscrição para um acesso democrático às inscrições e em seguida selecionaremos os participantes, que devem ter dois anos de experiência em atividades relacionadas à arte em qualquer modalidade.

 

Em seguida, cada artista da Cia Poéticas responsável por uma oficina, entra em contato com o aluno e, através de um grupo no whatsApp, organiza a prática.

 

2. CRIAÇÃO DE VIDEO-PERFORMANCE ATRAVÉS DE CONTAGIO

 

60 jovens artistas em 4 oficinas com 15 alunos, coordenadas por 4 artistas da Cia Poéticas com experiência no dispositivo.

 

Os alunos do ensino médio público ganharão bolsa para participar.

 

Esta prática tem sido exercitada pelos artistas da Poéticas, se afirmando como dispositivo autoral e já está na terceira edição.

 

A prática tem início com um workshop para referências e análise da linguagem da vídeo-performance.

 

Depois de um sorteio, a cadeia de contágios tem início e cada participante tem um certo tempo para realizar o seu vídeo e passar para outro.

 

3. ARTISTAS PALESTRANTES-VISITANTES

 

As oficinas são visitadas por artistas da Poéticas acostumados com a prática do contágio para falarem de seus processos de criação de video-performance. Esta troca entre artistas mais experientes e jovens é estruturante da transmissão que queremos realizar.

 

 

4. MOSTRA C-O-N-T-A-G-I-O

 

É o momento onde a gente mostra que é possível ser um artista autônomo através da vídeo-performance, e as possibilidades múltiplas que esta linguagem oferece.

 

Mostra como se trata de uma linguagem democrática e que não depende de equipamento ou técnica. Basta exercitar o olhar e dialogar com as referências; basta ter questões subjetivas para trabalhar e endereçar ao outro.

 

São 60 vídeo-performances de até 1 minuto para na “c-o-n-t-a-g-i-o”, que acontece no Canal Youtube da SOCA.

 

A mostra tem um catálogo com frame e sinopse do trabalho e foto e bio do autor.

EFEITO MULTIPLICADOR 

Os produtos são: os 60 vídeos em ordem de contágio e o catálogo da mostra.

 

O catálogo tem a função de reconhecimento da sua trajetória e construção como videoperformer.

 

A abrangência está também no numero de participantes da mostra: são sessenta meninxs entusiasmadxs com a produção em vídeo, mostrando aos amigos e familiares, contagiando pessoas com a vontade de realizar a videoarte.

 

São muitos, são sessenta. São múltiplos e múltiplas são as obras. “c-o-n-t-a-g-i-o” mostra a perspectiva do endereçamento ao outro, do atravessamento, do afeto e da construção de pensamento através de uma modalidade libertária.

 

A ideia é que a prática se espalhe e que outros grupos possam se formar para a prática do c-o-n-t-a-g-i-o.

 

A Vídeo-performance auxilia o jovem a encontrar caminhos para o reconhecimento de si, do outro, do trânsito das relações que nem sempre são fáceis, permitindo-o lidar com a aspereza do real e suas diversas tessituras de sensação sobre um corpo em transformação.

 

É sensibilizador ver jovens manejar a construção simbólica que a arte engatilha, produzindo poética e estranhamento. Este grupo tem um força de esperança e rejuvenescimento, que mexe com as pessoas.

 

A vocação pedagógica da Cia Poéticas/SOCA é fundamentada na ideia de que todos podem fazer Teatro. O desejo da transmissão do entendimento da linguagem performativa é o que nos move, tanto em relação ao espectador quanto em relação ao artista em formação. Neste sentido o projeto consolida uma parceria com as escolas que para nós é fundamental.

FICHA TÉCNICA

COORDENAÇÃO GERAL, CURADORIA e REDES SOCIAIS
Rejane Arruda

DESIGNER GRÁFICO
Alessandra Pin Ferraz

OFICINEIROS
Fagner Soares, Leticia Dias, Luiz Alberto Contarato, Rafael Teixeira

PLATAFORMA
Philippe Emanuel

COLABORADORES
Maria Riziane Prates 
Christina Niño

ASSISTENCIA DE PRODUÇÃO
Alexia Chaves

PERFORMERS VISITANTES:
Alberto Contarato, Allan Maykson, Ana Paula Castro, Daniel Monjardim, Fagner Soares, Júlio Gabriel, Leticia Dias, Lorena Bragança, Maria Ramos, Mariana Alves, Philippe Emanuel, Rafael Teixeira, Rejane Arruda, Yasmin Toretta.

ASSESSIBILIDADE
Filipe Viana

REALIZAÇÃO
Associação Sociedade e Arte SOCA e Cia Poéticas da Cena Contemporânea

APOIO
Governo do Estado do Espírito Santo - Secretaria de Estado da Cultura (SECULT/ES) 
Secretaria Especial da Cultura Ministério do Turismo através de Seleção de Projetos Lei Aldir Blanc 2020 Prêmio Artes Integradas.
Laboratório Gatilho Poético